Trend Allert: Chanel, Giambattista Valli e Dolce & Gabbana elegem as headpices como acessórios chave da temporada SS20-21

A temporada de desfiles Spring-Summer 2021 está riscando as passarelas das capitais da moda mundial. Londres, Milão e Paris apresentam suas apostas para o verão Europeu.

De Chanel a Giambattista Valli, grandes Maisons internacionais já aderiram novamente à headpices como peças-chave para a composição final de seus looks. Em Milão, Dolce & Gabbana elegeu as headbands (tiaras, turbantes e faixas com nós) como item essencial do styling de seu desfile. Em Paris, Giambattista Valli também apostou nos acessórios de cabeça, que compuseram o mood da nova coleção.

Na última terça-feira(06/10), foi a vez da Chanel apresentar suas apostas para a próxima temporada. E adivinhe qual era a peça-chave do desfile de Virgine Viard? As headpices!

No Brasil, uma designer paulistana, com mestrado em Moda em Milão e especialização em chapelaria em Londres, Daniela Kapps, lançou neste ano a primeira coleção da MATILDA, marca handmade inteiramente dedicada a criação de acessórios de cabeça – as headpices. Para a coleção de estreia da MATILDA, foram desenvolvida cerca de 30 modelos lançados no ultimo mês de março de 2020, à venda na loja online e em pontos selecionados pelo Brasil.

A label brasileira, para a primeira coleção apostou em, tiaras, facinator, turbantes, pentes, voilettes. Todos produzidos manualmente por uma rede de mulheres capacitadas em São Paulo, sede da marca. Com rigor de qualidade, acabamento e seleção dos materiais utilizados, alguns deles importados. E o que Giambattista Valli, Chanel, Dolce & Gabbana e MATILDA tem em comum? A paixão por headpices, que promete ser o acessório da vez.

Confira abaixo a galeira de imagens dos desfiles internacionais e da camapanha de estréia da MATILDA, além do still de produtos da marca brasileira.

Headpices MATILDA – Brasil 2020 

Para saber mais sobre headpices… 

Ícone dos anos 30 e 40, o Doll Hat volta a desfilar novamente pelas ruas e passarelas européias, dessa vez, repaginado com as mais diversas formas, tamanhos e texturas.

Imersos em um cenário de escassez de suprimentos básicos e tecidos por conta da primeira guerra, estilistas como Elsa Schiparelli e Paul Poiret tiveram que se reinventar para atender seus clientes e, o que era caótico, virou moda. O chapéu de tamanho reduzido ganhou espaço e virou símbolo da era vitoriana.

Desde então, o acessório de cabeça reapareceu em vários momentos da história com nomes e versões diferentes, cada um deles criado através da verdade e do olhar de diversos estilistas.

SERVIÇO:

@oi_matilda
https://www.oimatilda.com/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s