Handara Eco: marca destina parte da renda para preservação ambiental da caatinga

Empresa engajada em promover o pensamento sustentável na moda, a Handara, referência nacional em jeanswear, assina o projeto “Handara Eco”, em parceria com a Associação Caatinga, entidade não governamental que promove a conservação das terras, florestas e águas desse bioma. Há 10 anos com a ação, parte da renda das vendas de todos os produtos Handara é destinado para a preservação direta da Reserva Natural Serra das Almas (RNSA), localizada entre os municípios de Crateús, no Ceará, e Buriti dos Montes, no Piauí.

A ação realiza, por meio da mitigação de parte das emissões de CO2, a ampliação e consolidação da proteção de florestas mediante a manutenção e melhoria na gestão de Unidades de Conservação no Estado, assim como a disseminação de campanhas de educação ambiental, preservando o desenvolvimento sustentável não apenas do bioma Caatinga, mas de todos os outros presentes no estado do Ceará.

“Buscamos trazer o menor impacto possível ao meio ambiente com a produção das peças da Handara, e umas dessas iniciativas é apoiar a Associação Caatinga, que contém profissionais que cuidam da preservação da fauna, da flora e também dos projetos socioeconômicos realizados na região, valorizando as belezas do nosso Nordeste”, explica o CEO da Handara, Lúcio Albuquerque.

Apoiada pela Handara, a Reserva Serra das Almas é mantida pela Associação Caatinga e tem o reconhecimento da Unesco por proteger uma significativa área desse bioma preservado e também promover a interação com as comunidades rurais da região. A área do espaço é de 6.300 hectares, que resguardam três nascentes, espécies que estão ameaçadas de extinção, contribuindo ainda para a manutenção de serviços ambientais e ecossistêmicos.

“A Handara tem demonstrado o seu compromisso com a causa socioambiental e apoiado as iniciativas realizadas pela Associação Caatinga, por meio de um modelo de negócio sustentável que agrega valor a sua marca e possibilita os seus consumidores a participarem diretamente da proteção do mais brasileiro dos biomas: a Caatinga. O compromisso ambiental é transcende a empresa e passa pela postura cidadã do Lúcio Albuquerque, que é entusiasta e defensor do meio ambiente, sendo inclusive proprietário de uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), uma modalidade de Unidade de Conservação”, explica o coordenador geral da Associação Caatinga, Daniel Fernandes.

Para quem deseja conhecer mais o projeto, basta acessar: www.acaatinga.org.br.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s