Whey Protein: saiba tudo sobre a suplementação indicada para pessoas de todas as idades

O Whey Protein é o suplemento alimentar mais famoso entre atletas e praticantes de atividades físicas. Mas esse composto de aminoácidos não é indicado apenas para quem treina: ele pode ser utilizado por muitas pessoas, com objetivos diferentes, bastando que a indicação e a dosagem diária seja indicada por um nutricionista ou nutrólogo, para que os benefícios do produto sejam totalmente aproveitados e não haja nenhum exagero no consumo.

 A Dr. Shape – maior franqueadora de lojas de suplementos alimentares e artigos esportivos da América Latina, com 70 lojas pelo Brasil e 20 anos de mercado, trabalha com uma linha completa de Whey Protein – dentre eles, o Iso Pro, da Iconic Nutrition, vendido exclusivamente na rede Dr. Shape, que ilustra este material. Para que se entenda todos os benefícios desse suplemento, Cíntia dos Santos Moser (foto), Nutricionista da Dr. Shape, Especialista em Nutrição Esportiva e Mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos, detalhou os tipos de Whey Protein existentes e diversas indicações de usos, para públicos diferentes, formando um guia informativo. Acompanhe:

O que é o Whey Protein?

Quando se fala em suplemento alimentar, logo pensamos no Whey Protein, um composto de aminoácidos retirados do soro do leite, fundamental para quem deseja dar ao organismo um bom aporte proteico. Mas porque ele é tão lembrado? Qual a sua importância? Pois bem, sua importância se dá pelo perfil de aminoácidos essenciais presentes em sua composição: histidina, isoleucina, leucina, lisina, metionina, fenilalanina, treonina, triptofano e valina. Ou seja, o whey é composto por aminoácidos (tijolinhos que formam o nosso corpo) que não somos capazes de produzir, precisamos adquirir pela nossa alimentação.

Os aminoácidos que ingerimos são as substâncias que nosso organismo utiliza para produzir proteínas, o componente dos músculos, então, o Whey Protein é importante para quem tem objetivo de ganho de massa muscular (hipertrofia).

Mas sua indicação não é restrita ao público de academia não! Nosso corpo, nossos tecidos estão sempre em plena renovação. O Whey Protein pode ser usado desde a infância, período de crescimento e desenvolvimento rápido, até o idoso. O idoso, por exemplo, apresenta dificuldades para atingir os níveis adequados de proteína diários por diversos fatores, que vão desde a dificuldade de mastigação, diminuição de enzimas digestórias a fatores socioeconômicos e familiares (Peruchi et al., 2017). Então, suplementá-lo com Whey Protein é uma alternativa estratégica em sua nutrição.

Do que é feito o Whey Protein?

A matéria-prima para a fabricação do Whey Protein é o soro do leite. O leite é separado em coágulo (onde se encontra a caseína e a maior parte dos lipídios) e soro (onde ficam as proteínas, gordura em menor fração, lactose e água). As proteínas do soro do leite passam por filtração (ultrafiltração/microfiltração ou diafiltração), evaporação a vácuo e secagem por pulverização, formando pó concentrado ou isolado do soro de leite (Parnell, Wiens, Erdman, 2015).

Quais são os tipos de Whey Protein?

No mercado, estão disponíveis inúmeras marcas e denominações de Whey Protein: 100%, 3W, 5W, isolado, concentrado, hidrolisado, parcialmente hidrolisado, gourmet, palsma iowhey, entre outras. As opções são tantas que o consumidor fica perdido.

A maioria dessas denominações apenas estão diferenciando o método pelo qual a proteína do soro do leite foi processada pela indústria de alimentos. Na prática, podemos dizer que encontramos apenas dois tipos de Whey Protein, o concentrado e o isolado, e ambos pode aparecer na forma hidrolisada (Vasconcelo et al., 2018).

O Whey concentrado (WPC) – apresenta em torno de 18 a 20g de proteína, de 2g até 7g de lactose e de1 até 4g de gordura por porção.

O Whey Isolado (WPI) não tem gordura e é quase sem lactose (menos de 1g de lactose na porção). Apresenta entre 85% e 95% de proteína, é obtido por diafiltração, processo que filtra os compostos não proteicos na membrana de separação, apresentando um teor superior de proteínas ao Whey Protein concentrado (Smithers, 2008).

E o Whey hidrolisado (WPI) – que pode ser tanto o concentrado quanto isolado –passou por um processo de quebra da proteína em porções menores, os peptídeos. As proteínas são hidrolisadas visando à melhoria de suas propriedades nutricionais e funcionais. O comprimento da cadeia desses peptídeos influencia diretamente sua velocidade e taxa de absorção (Frenhani; Burini, 1999; Hinsberger; Sandhu, 2004).

Para quais objetivos cada tipo de Whey Protein é indicado?

Se o seu objetivo é ganho de massa muscular, o Whey isolado é mais indicado que o Whey concentrado, pois apresentará mais leucina livre. O ganho de massa muscular a partir do uso da proteína do soro do leite está relacionado com o perfil de aminoácidos, principalmente de Leucina, que tem associação no processo de ativação da iniciação da síntese proteica a partir do estímulo de uma proteína chamada mTOR (Peruchi et al., 2017; Silva, Souza, 2016).

Se o seu objetivo é aporte proteico, ou seja, atingir os níveis adequados de proteína/dia, você pode consumir o Whey concentrado com água, ou até mesmo em preparações culinárias. O Whey Protein pode ser utilizado em preparações de alimentos, pois associa o potencial nutricional aos aspectos físicos (como emulsão e capacidade de estabilização), melhorando características sensoriais (Soares et al., 2018).

Idosos podem usar Whey Protein?

Sim! No caso de um idoso, o Whey Protein isolado, que passou pelo processo de hidrólise, é o mais indicado, pois a proteína isolada e hidrolisada apresenta maior biodisponibilidade para o organismo que já apresenta alguma dificuldade de digestão e absorção.

A sarcopenia (perda de massa magra) é uma alteração extremamente prevalente em idosos devido ao aumento da produção de citocinas pró-inflamatórias que podem estimular a perda de aminoácidos e incrementar a quebra de proteínas das fibras musculares. Além disso, o idoso apresenta atraso na síntese proteica muscular após estímulo anabólico e apresenta um mecanismo chamado de “resistência anabólica”. Isso significa que é necessária uma quantidade maior de proteínas ingeridas para ser atingida a mesma síntese proteica dos jovens (Peruchi et al., 2017). Então, a adoção de Whey Protein, diariamente, em doses individualizadas, é recomendada para o aporte proteico necessário para este perfil de paciente.

Qual é o melhor Whey Protein para pacientes bariátricos?

Para o paciente bariátrico, que precisa de um aporte proteico, o Whey Protein isolado, que passou pelo processo de hidrólise, é o mais indicado, pois a proteína isolada e hidrolisada apresenta maior biodisponibilidade para o organismo que já apresenta alguma dificuldade de digestão e absorção.

O Whey Protein ajuda no processo de emagrecimento?

Sim. O Whey Protein também pode ser utilizado como estratégia nutricional para quem precisa eliminar alguns quilos. Sua ingestão associada à prática ou não de exercício físico tem mostrado benefícios além do favorecimento no ganho de força muscular. O alto teor de cálcio favorece a redução da gordura corporal e o aumento da densidade óssea mineral. Pode causar uma diferença no peso corporal associado à diminuição da massa gorda e diminuição da circunferência abdominal (Silva, Ramos, Cruz, 2021).

Referências bibliográficas:

FRENHANI, P.B.; BURINI, R.C. Mechanisms of absorption of amino acids and oligopeptides: control and implications in human diet therapy. Arq. Gastroenterol., v.36, n.4, p.227-237, 1999.

HINSBERGER, A.; SANDHU, B.K. Digestion and absorption. Curr. Paediatr., v.14, p.605-611, 2004.

Parnell, J.A.; Wiens, K.; Erdman, K.A. Evaluation of congruence among dietarysupplement use and motivation for supplementation in young, Canadian athletes. Journal of the International Society of Sports Nutrition. Vol. 12. Num. 49, p. 1-10, 2015.

Peruchi, R. F. P.; Ruiz, K.; Marques, S. A.; Moreira, L. F. Suplementação nutricional em idosos(aminoácidos, proteínas, pufas, vitamina d ezinco) com ênfase em sarcopenia:uma revisão sistemática. Uningá Review, V.30,n.2,pp.61-69, Abr-Jun, 2017.

Smithers, G.W. Whey and whey proteins – From “gutter-to-gold”. International Dairy Journal. Vol. 18. Num. 7, p. 695-704, 2008.

Silva, P. R. P.; Ramos, G. L. P. A.; Cruz, A. G. Whey protein, um produto do soro de leite: efeitos em exercícios físicos. Alimentos: Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente – Vol. 2 – N. 1, 2021.

Soares, J.P.; Marques, G.A.; Magalhães, C.S.; Santos, A.B.; São José, J.F.B.; Silva, D.A; Silva, E.M.M. Efeito da adição de proteína do soro do leite como substituto do trigo na formulação de bolos sem adição de açúcar. Brazilian Journal of Food Technology. Vol. 21, p. 1-9, 2018.

Vasconcelo, Q. D. J. S.; Bachur, T. P. R.; Aragão, G. F. Whey protein: composição, usos e benefícios – uma revisão narrativa. European Journal of Physical Education and Sport Science. Vol. 4. Núm. 1, p. 1-11, 2018.

*Cintia dos Santos Moser é nutricionista na Dr. Shape.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s