Musical: “Barnum – O Rei do Show” se apresenta em Fortaleza após conquistar público e crítica em São Paulo e Rio de Janeiro

Com Guilherme Logullo na corda bamba e Kiara Sasso no elenco, musical circense aterrissa pela primeira vez no País com versão brasileira de Claudio Botelho.

“Barnum – O Rei do Show”, um dos mais cultuados musicais da história – que recebeu desde sua estreia, na década de 1980, uma dezena de prêmios Tony e até versão para o cinema – finalmente ganha uma versão brasileira. Após estreia elogiada em São Paulo e temporada no Rio de Janeiro, a turnê nacional de Barnum chega a Fortaleza nos dias 7 e 8 de outubro com apresentação no Teatro RioMar. Para a empreitada – que aqui ganha versão brasileira de Claudio Botelho, direção de Gustavo Barchilon, coreografia/direção de movimento de Alonso Barros e direção musical de Thiago Gimenes – foram escalados Guilherme Logullo para o papel-título e Kiara Sasso na pele da poderosa Charity – outros destaques são as atrizes Renata Ricci dando vida a antagonista Jenny Lind e Valéria Barcelos no papel da mítica Joice Heth. 

O elenco estelar dará vida a uma história real que ganhou, no decorrer de sua história, fãs, lendas e muita especulação. Enredo este que nos dias atuais ainda levanta debates importantes que ajudam a contar e a refletir sobre a humanidade, a igualdade e, claro, a inclusão. Barnum, como o nome aponta, é o musical baseado na vida do showman e empresário do ramo do entretenimento Phineas Taylor Barnum, cujo mais famoso empreendimento foi um museu itinerante que era uma mistura de circo, zoológico e personagens freaks, com destaque, por exemplo, para uma mulher de 160 anos. 

Um comitê diverso foi montado para que a versão brasileira fizesse plena alusão aos dias atuais – a história do personagem principal fala de um mundo de outrora mas com questões ainda pertinentes ao planeta atual. “A diversidade é ponto central nesta versão contemporânea. Se em sua época ele poderia gerar controvérsias, é sabido que, amado ou odiado, verdadeiro ou mentiroso, Barnum levantou discussões calorosas”, afirma Barchilon. Afinal, o que é diferente? E por que não incluir e aceitar tais diferenças?

Para além do pensar, “Barnum – O Rei do Show” é sobre se emocionar. Cabe a Kiara Sasso dar vida a sua esposa, a poderosa Charity – mulher que fez os sonhos do marido possíveis e que confirma a velha máxima de que junto de um grande homem sempre existe uma grande mulher – sendo este o verdadeiro coração da história. 

Como toda história de amor tem seus oponentes, Renata Ricci interpreta Jenny Lind, a contratada para uma turnê que também é alvo de toda a atenção de Barnum – para o lamento de Charity. Já entre a trupe do circo, o destaque vem por meio de Valéria Barcelos, uma mulher trans que encarna uma das atrações mais populares de Barnum: Joice Heth, conhecida em sua época como “a mulher mais velha do mundo”.

Assim como em toda a sua história, Barnum – O Rei do Show – promete repetir em Fortaleza seu sucesso ao fazer mágica e refletir, já que desde que estreou na Broadway, há quatro décadas, tendo em seu elenco principal Jim Dale e Glenn Close conquistou 10 nomeações ao prêmio Tony (o Oscar do teatro americano) de 1980. Entre outras versões mundo afora, inspirou a edição cinematográfica de 2017 com Hugh Jackman em seu elenco. Tamanho sucesso nos quatro cantos do globo fazem com que a versão brasileira chegue por aqui pela Lei Federal de Incentivo à Cultura com patrocínio master da PORTO.

EQUIPE CRIATIVA

Gustavo Barchilon (direção artística). Integrante da equipe artística de Magic Mike noWest End, em Londres, em seu currículo constam passagens nas equipes de Möeller e Botelho, bem como o espetáculo “Amaluna, do Cirque de Soleil.

Claudio Botelho (versão brasileira). São dele as versões de musicais como “Les Misérables”, “O Fantasma da Ópera”, “My Fair Lady”, “Miss Saigon”, “West Side Story”, “Família Addams”, “A Bela e a Fera”, “Cinderella, o Musical” e “Chicago”. É detentor de prêmios como Mambembe, APTR, Shell, Bibi Ferreira, APCA e a medalha da Ordem do Mérito Cultural, do MinC.

Alonso Barros (coreografia/dir. de movimento). No Brasil, foi coreógrafo de importantes musicais, como “Despertar da Primavera”, “Pippin”, “Peter Pan”, “A Noviça Rebelde”, “Cinderella” e “Chaplin”. Depois disso, na Itália e Alemanha foi o responsável pela coreografia de “West Side Story”. Em Viena recebeu prêmio pelo musical “The Last Five Years”. No Brasil recebeu três troféus como Melhor Coreografia pelo prêmio Bibi Ferreira.

FICHA TÉCNICA

Direção Geral: Gustavo Barchilon
Direção Produção: Thiago Hofman
Versão Brasileira: Cláudio Botelho
Direção Musical: Thiago Gimenes
Coreografia/Dir. de Movimento: Alonso Barros
Figurino: Fábio Namatame
Cenógrafo: Rogério Falcão
Iluminador: Maneco Quinderé
Design de Som: Tocko Michelazzo
Visagismo: Dhiego Durso
Perucaria: Feliciano San Roman
Diretora Residente: Vanessa Costa
Assistente de coreografia: Cecília Simões
Tradução: Cláudia Costa
Adaptação: Gustavo Barchilon
Produção local: Free Lancer Producções
Assessoria de Imprensa em Fortaleza: Divulga Ação

SERVIÇO

Onde?
Teatro Riomar – Rua Desembargador Lauro Nogueira, 1500

Quando?
De 07 a 08 de outubro de 2022
Horários: Sexta – 20h30 e sábado às 17h e 20h30
Valores: Ingressos a partir de R$ 25,00 (meia entrada)

Plateia baixa A – a partir de R$ 70,00
Plateia baixa B – a partir de R$ 60,00
Plateia baixa B – a partir de R$ 50,00
Plateia alta – a partir de R$ 25,00

●        Descontos Patrocinador (PORTO): 30%

Compras via internet: UHUU

Vendas na bilheteria do Teatro: No dia do espetáculo

Duração: 100 minutos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s