Cinema: ‘DNA’, de Maïwenn, chega aos cinemas dia 30 de setembro

DNA, o aguardado novo filme da diretora, roteirista e atriz francesa Maïwenn (“Polissia”, “Meu Rei”), ganhou cartaz oficial e data de estreia nos cinemas brasileiros: 30 de setembro. Integrante da seleção oficial do Festival de Cannes 2020 e exibido em outros importantes festivais como San Sebastián, Zurique e o Varilux, DNA conta uma emocionante história sobre relações familiares, o legado deixado por entes queridos e a busca de uma mulher por suas origens.    

A produção é estrelada por Maïwenn como a protagonista Neige Robert e conta ainda com grandes nomes do cinema francês no elenco como Fanny Ardant (“Elizabeth”, “8 Mulheres”) no papel de Caroline, a mãe da protagonista; Louis Garrel (“Adoráveis Mulheres”, “No Portal da Eternidade”), como François, o espirituoso amigo e conselheiro de Neige; Marine Vacth (“Jovem e Bela”, “Pinóquio”), interpretando Lilah, a irmã da protagonista; e muitos outros. 

Elogiado pela crítica nos diversos festivais pelos quais passou, DNA recebeu quatro indicações ao César Awards 2021, o Oscar do cinema francês. O longa concorreu nas categorias de Melhor Direção (Maïwenn), Melhor Atriz Coadjuvante (Fanny Ardant), Melhor Ator Coadjuvante (Louis Garrel) e Melhor Trilha Original (Stephen Warbeck).  Além de protagonizar e dirigir o filme, Maïwenn também assina o roteiro ao lado de Mathieu Demy. A produção é da Why Not Productions e da Arte France Cinéma, com participação da ARTE FRANCE, CANAL+ e CINÉ+. A distribuição do longa-metragem no Brasil é da Vitrine Filmes com apoio cultural da Unifrance. 

Sinopse Neige, divorciada e mãe de três crianças, visita regularmente Emir, seu avô argelino, vivendo agora num asilo para idosos. Ela adora e admira aquele que exerce o papel de sustentáculo da família, o homem que a criou e que sobretudo a protegeu da atmosfera tóxica que marcava o relacionamento com os pais. As relações entre os muitos integrantes da família são complicadas e a morte do avô acabará por desencadear uma tempestade familiar e uma profunda crise de identidade em Neige.

Ficha técnica:
Elenco principal: Maïwenn (Neige), Fanny Ardant (Caroline), Louis Garrel (François), Dylan Robert (Kevin), Marine Vacth (Lilah), Caroline Chaniolleau (Françoise), Alain Françon (Pierre), Florent Lacger (Ali), Henri-Noël Tabary (Matteo), Omar Marwan (Emir Fellah)
Direção: Maïwenn Roteiro: Maïwenn, Mathieu Demy Produção: Pascal Caucheteux Produção Executiva: Mélissa Malinbaum, Martine Cassinelli Gerente de Produção: Delphine Bellonet, Monica Taverna Gerente de Pós-Produção: Béatrice Mauduit Coprodução: Maïwenn, Olivier Père Montagem: Laure Gardette Música Original: Stephen Warbeck Direção de Fotografia: Sylvestre Dedise Continuísta: Marion Pin Direção de Elenco: Julie Allione Som: Nicolas Provost Edição de Som: Julien Roig, Anne Gibourg Mixagem de Som: Emmanuel Croset Design de Produção: Angelo Zamparutti Maquiagem: Farès Haned, Mina Matsumura Assistente de Direção: Sonia Tahallah, Hugo Le Gourrierec Empresa Produtora: Why Not Productions, Arte France Cinéma Com participação de: ARTE FRANCE, CANAL+, CINÉ+ Apoio Cultural: Unifrance

Sobre a Vitrine Filmes    A Vitrine Filmes, em dez anos de atuação, já distribuiu mais de 160 filmes e alcançou mais de quatro milhões de espectadores. Entre seus maiores sucessos estão ‘O Som ao Redor’, ‘Aquarius’ e ‘Bacurau’ de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles. Outros destaques são ‘A Vida Invisível’, de Karim Aïnouz, representante brasileiro do Oscar 2020, ‘Hoje Eu Quero Voltar Sozinho’, de Daniel Ribeiro, e ‘O Filme da Minha Vida’, de Selton Mello. Entre os documentários, a distribuidora lançou ‘Divinas Divas’, dirigido por Leandra Leal e ‘O Processo’, de Maria Augusta Ramos, que entrou para a lista dos 10 documentários mais vistos da história do cinema nacional.    Além do cinema nacional, a Vitrine Filmes vem expandindo o seu catálogo internacional ao longo dos anos, tendo sido responsável pelo lançamento dos sucessos “O Farol”, de Robert Eggers, indicado ao Oscar de Melhor Fotografia; “Você Não Estava Aqui”, dirigido por Ken Loach, e o longa premiado com o Oscar de Melhor Filme Internacional 2021: “DRUK – Mais uma rodada”, de Thomas Vinterberg.   Em 2021, a Vitrine Filmes abriu seu leque de atuação diretamente na produção audiovisual e também na capacitação de profissionais, com o Vitrine Lab. No primeiro semestre foram distribuídos coletivamente quatro longas da Sessão Vitrine na edição especial de 10 anos, entre eles “A Torre”, de Sérgio Borges, “Entre Nós, um Segredo”, de Beatriz Seigner e Toumani Kouyaté, “Chão”, de Camila Freitas e “Desvio”, de Arthur Lins; o novo documentário sobre o impeachment da Dilma, “Alvorada”, de Anna Muylaert e Lô Politi; “First Cow”, da diretora Kelly Reichardt.  

Siga a Vitrine Filmes nas redes sociais: https://linktr.ee/VitrineFilmes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s