Música: Orquestra Bandolins do Ceará realiza nova temporada com homenagem às gerações do Bandolim

A Orquestra de Bandolins foi idealizada por Samuel Rocha e estreou na cena musical cearense no ano de 2018 com o festival “100 anos — Jacob do bandolim” no Centro Cultural Banco do Nordeste. Após diversas apresentações e a pausa, devido a pandemia de Covid-19, a orquestra de cordas dedilhadas anuncia nova temporada com três shows que ocorrem nos dias 18 e 25 de setembro, às 17h, e no dia 7 de outubro, às 19h. Os eventos que estreiam virtualmente através do canal de YouTube da Orquestra, do Centro Cultural Belchior e da Rede CUCA propõem um encontro entre gerações do bandolim, de um lado os ícones, do outro, os jovens talentos que se conectam através das músicas de Jacob.

Além dos espetáculos virtuais, a Orquestra Bandolins do Ceará também promoverá dois bate-papos com a temática “bandolim brasileiro na prática de conjunto”, em que abordará aspectos históricos, transformações e vivências. Participarão das conversas os bandolinistas Rairton Lima, no dia 28 de setembro, e Felipe Bastos, no dia 29 de setembro, ambas lives contarão com a mediação de Samuel Rocha. O evento ocorrerá virtualmente sempre às 10h através da plataforma instagram (@orquestra_bandolins_ce). Este projeto foi contemplado no VIII Edital das Artes de Fortaleza (lei nº 10.432/2015) da Prefeitura Municipal de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza.

As apresentações ocorrerão em duo, com um mestre e um jovem instrumentista, acompanhados por um grupo regional, formado por Samuel Rocha, no violão sete cordas, cavaco e pandeiro, Fernando do Pandeiro, no pandeiro, e Lauro Viana, no cavaquinho. “Por conta da pandemia, não pudemos juntar todos os integrantes da Orquestra em um mesmo show, a opção que encontramos foi a divisão em três espetáculos diferentes em que desfrutaremos de composições de um dos maiores nomes do choro, Jacob do Bandolim, além do repertório autoral dos músicos envolvidos, os ícones da cena cearense Carlinhos Patriolino, Saraiva do Bandolim e Macaúba do Bandolim, e os nomes da nova geração, como Felipe Bastos, Rairton Lima e Marinaldo Do Bandolim”, destaca Samuel Rocha que finaliza: “esta também é uma oportunidade para reverenciarmos a lenda viva que é o Mestre Macaúba do Bandolim. Acredito que a melhor homenagem que se pode prestar a um mestre é permitindo-lhe tocar para públicos de diferentes locais e idades, proporcionando um encontro de gerações que integra músicos renomados com jovens instrumentistas”. 

Os shows

No dia 18 (sábado) estreia o espetáculo de Carlinhos Patriolino e Felipe Bastos. Multi Instrumentista autodidata, Patriolino (ícone) teve sua infância marcada pelas serestas e pelas rodas de choros que seu pai o levava semanalmente. Aos seis anos de idade começou a tocar o violão e, na sequência, o bandolim — ganhando como recompensa pelo seu desempenho no primeiro instrumento. Aos treze anos de idade já surpreendia compondo e tocando bandolim, violão, guitarra e cavaco ao lado de músicos profissionais. No decorrer da sua carreira tocou com grandes nomes, como Amelinha, Ednardo, Fausto Nilo, Sandra de Sá, Zélia Duncan, Chico César, Alcione, Emílio Santiago, Wilson Simonal, Belchior, entre outros.

Felipe Bastos, por sua vez, é instrumentista e compositor da nova geração. Nasceu em uma família musical e aos oito anos começou a tocar teclado, dedicando-se ao cavaquinho aos dez. Mas foi aos doze que conheceu o bandolim, instrumento que faz parte de sua rotina diária e compromissos profissionais. Com seu bandolim de dez cordas, tem parceria com Samuel Rocha no projeto “Samuel Rocha Bordando o Sete”. Atualmente se dedica a gravação do seu primeiro álbum instrumental.

O segundo show estreia no dia 25 e traz pai e filho no palco virtual: Macaúba do Bandolim e Marinaldo do Bandolim. A apresentação também conta com a participação especial do bandolinista Erick Diógenes.

José Felipe da Silva herdou do pai o amor por instrumentos musicais. Ainda menino, admirava o ver tocar em bailes e batizados. Seu início efetivo na música se deu com 13 anos, autodidata tocava bandolim em festas de boi, dramas e pastoril. Trabalhou em metalúrgica por 23 anos, sempre conciliando o trabalho na fábrica com a música nas noites fortalezenses. Até que decidiu deixar o emprego para ser profissional da música. O José já era conhecido como “Macaúba do Bandolim”, fundou o Clube do Choro de Fortaleza e foi consagrado Mestre da Cultura pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará em 2018. Hoje, com 78 anos, soma 65 anos dedicados ao bandolim e é o grande homenageado da temporada. 

O amor hereditário pelo instrumento perdura, agora com seu filho, o “Marinaldo do Bandolim”, que quando criança já acompanhava o pai nas rodas de samba da cidade, iniciando no bandolim aos 12 anos. 

A primeira temporada de 2021 da Orquestra Bandolins do Ceará encerra no dia 7 de outubro, às 19h, com show de Saraiva e Rairton Lima. Ícone, Saraiva também traz o “bandolim” no sobrenome, é intérprete e compositor de fama reconhecida em Fortaleza. Do outro lado, autodidata e instrumentista da nova geração, Rairton Lima deu seus primeiros passos na música com o violão aos 15 anos. Depois vieram a guitarra, o contrabaixo e o piano, até que, enfim, deu-se o encontro com o bandolim. Com o tempo, passou a tocar o instrumento de maneira inovadora, fazendo junções de estilos musicais e propondo novas sonoridades.

O bandolim

O instrumento de origem italiana com fundo arredondado recebeu fundo chato em Portugal, tendo o formato de gota mantido. Chegou no Brasil no século XIX e foi nas mãos de Jacob Bittencourt — ou Jacob do Bandolim — que adquiriu linguagem própria, encontrando na música popular brasileira, principalmente no choro, sua maior expressão.

Serviço

Orquestra de Bandolins do Ceará realiza nova temporada com homenagem aos Mestres do Bandolim no estado

Dia 18/9 (sábado), às 17h

Carlinhos Patriolino e Felipe Bastos + grupo regional (Samuel Rocha, Fernando do Pandeiro e Lauro Viana)

Disponível gratuitamente no canal de YouTube da Orquestra de Bandolins do Ceará (https://bit.ly/OrquestraDeBandolins) e no canal de YouTube do Centro Cultural Belchior (https://bit.ly/YouTubeCCBEL)

Dia 25/9 (sábado), às 17h

Macaúba do Bandolim e Marinaldo do Bandolim. Participação especial de Erick Diógenes. + Grupo regional (Samuel Rocha, Fernando do Pandeiro e Lauro Viana)

Disponível gratuitamente no canal de YouTube da Orquestra de Bandolins do Ceará (https://bit.ly/OrquestraDeBandolins) e no canal de YouTube do Centro Cultural Belchior (https://bit.ly/YouTubeCCBEL)

Dia 7/10, às 19h

Saraiva do Bandolin e Rairton Lima + grupo regional (Samuel Rocha, Fernando do Pandeiro e Lauro Viana)

Disponível gratuitamente no canal de YouTube da Orquestra de Bandolins do Ceará (https://bit.ly/OrquestraDeBandolins) e no canal de YouTube da Rede CUCA (https://www.youtube.com/c/RedeCuca)

Bate papo “bandolim brasileiro na prática de conjunto”

Com Rairton Lima e Felipe Bastos. Mediação de Samuel Rocha

Dias 28 e 29 de setembro, sempre às 10 horas

Disponível gratuitamente no instagram da Orquestra (@orquestra_bandolins_ce)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s