Saúde: Janeiro Branco faz alerta para os cuidados com a saúde mental após dois anos de pandemia

Dois anos após o início da pandemia de Covid-19, o mundo entrou, definitivamente, em alerta para a prevenção e os cuidados com a saúde mental. Diante de um cenário de perdas, pacientes, familiares e amigos encheram os consultórios de psiquiatras e psicólogos em busca de ajuda para aliviar a angústia, ansiedade e depressão, neste último com aumento de 28%, de acordo com um estudo feito pelo jornal médico, The Lancet. 

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a pandemia interrompeu serviços essenciais de Saúde Mental em 93% dos países do mundo e, ao mesmo tempo, intensificou a procura por esses mesmos serviços. No Brasil, segundo  pesquisa do Instituto FSB, 62% das brasileiras e 43% dos brasileiros afirmaram que a saúde emocional ‘piorou’ ou ‘piorou muito’ durante a pandemia.

Um estudo desenvolvido pelo Instituto Ipsos e encomendado pelo Fórum Econômico Mundial, concluiu que 53% dos brasileiros achavam que sua saúde mental “tinha piorado bastante no último ano”. Segundo estudo realizado pela FIOCRUZ e outras seis universidades nacionais, enquanto 40% da população brasileira apresentavam sentimentos frequentes de tristeza e de depressão, outros 50% da mesma população apresentavam frequentes sentimentos de ansiedade e nervosismo. A pandemia também prejudicou os jovens. Uma pesquisa conduzida pelo UNICEF/Gallup mostrou que 22% dos adolescentes e jovens brasileiros de 15 a 24 anos se sentem deprimidos ou têm pouco interesse em ‘fazer coisas’.

“Prevenir o adoecimento mental não é uma lógica individual, mas de processos coletivos em torno da  qualidade de vida, de elementos sociais, políticos, econômicos, ou seja, na formação de modos de vida tanto singular quanto coletiva. A saúde, no seu conceito mais amplo, de bem estar biopsicossocial, não é estática. O que estamos vivendo atualmente nos revela a necessidade crescente de, não só nos conscientizar sobre as questões sobre a saúde mental, mas, também, de lutarmos pelo fortalecimento das políticas públicas e assistência psicossocial”, explica a psicóloga do Centro de Oncologia e Hematologia (Oncovie), Marina Teófilo.

Campanha Janeiro Branco

O Janeiro Branco é dedicado a colocar os temas da “Saúde Mental” em evidência na sociedade, chamando a atenção dos indivíduos, das autoridades e das instituições sociais para tudo o que diz respeito aos universos mentais, comportamentais e subjetivos dos seres humanos. 

Origem da Campanha

Idealizada pelo psicólogo mineiro Leonardo Abrahão, a Campanha iniciou-se em Janeiro de 2014 quando psicólogos(as) de Uberlândia(MG) foram às ruas, às instituições e às mídias da cidade para falar às pessoas sobre “Saúde Mental”, “Saúde Emocional”, “sentido de vida”, “qualidade emocional de vida” e “harmonia nas relações humanas”. 

Expansão da Campanha

Desde 2014, o Janeiro Branco vem se consolidando como a maior Campanha do mundo em prol da construção de uma cultura da Saúde Mental na humanidade. Profissionais liberais, instituições sociais, políticos, artistas, líderes religiosos e cidadãos sensíveis à causa têm abraçado a Campanha e a sua proposta de psicoeducação dos povos.

Sobre a Oncovie

O Centro de Oncologia e Hematologia congrega em um mesmo endereço todos os elos para a cadeia de cuidados: prevenção, diagnóstico e tratamento, bem como um amplo leque de serviços que auxiliam no enfrentamento da doença, contribuindo para minimizar seus impactos e otimizar a qualidade de vida. É composta por uma equipe de multiprofissionais, com o objetivo de oferecer um atendimento humanizado, ético e baseado nos mais novos protocolos obedecendo ao conceito de sustentabilidade. A Oncovie busca constantemente a excelência na atenção aos seus clientes, e para isso entende que as parcerias são imprescindíveis. Tem como missão oferecer atendimento de excelência aos clientes proporcionando ao paciente oncohematológico e reumatológico um tratamento de caráter multidisciplinar, com detecção precoce, acurácia no diagnóstico e posterior tratamento individualizado ambulatorial.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s